25 dezembro, 2009

Lembrancinha de Natal

Apesar da idéia dos panetones ter sido do DEM, vou aproveitar a árvore que o Ivan Cabral fez para eles e presentear simbolicamente os amigos. Feliz Natal para todos.
FONTE: http://www.ivancabral.blogspot.com/

24 dezembro, 2009

Presentes de Natal: visão sociológica X visão economista

Artigo interessante sobre o ato de presentear na visão de um sociólogo e de um economista.

"Dar presentes de Natal é como uma missão de paz", analisa sociólogo
Pouco se sabe sobre a origem, o significado e as implicações exatas do ato de presentear. Sociólogo detecta raízes na procriação e função anti-agressiva. Para economista, orgia de compras de Natal é delírio consumista.

Cada cidade tem seus costumes de Natal. Mas Berlim acrescentou um tempero especial à festividade, ao inventar o comércio natalino. Essas palavras, escritas pelo conceituado publicista Sebastian Haffner em 1933, poderiam datar de hoje.

Pois, nesse aspecto, a capital alemã nada mudou: no final de dezembro, seus cidadãos lotam as lojas de departamentos, os novos palácios do prazer, como se o mundo fosse se acabar. Eles zombam da crise e gastam fortunas em presentes. Mas, afinal, qual é o motivo de tal comportamento?

Orgia de compras

Em meio à maior loja de departamentos de Berlim, a Kaufhaus des Westens (KaDeWe), o sociólogo Friedrich Rost observa com um sorriso condescendente a orgia em massa da compra de presentes. Mas trata-se de um elemento social indispensável, explica o professor da Universidade Livre, que há 20 anos estuda o fenômeno do presentear e ser presenteado.

"Pois [presentear] é a expressão de um valor que, no fundo, não há como se comprar numa loja – quando a coisa dá certo. Existem, é claro, também presentes malsucedidos, e aí a decepção pode ser grande. Mas, em si, trata-se de sinais visíveis de um relacionamento. E para os sociólogos tais redes de relações – quem presenteia a quem com o quê – são muito interessantes."

Olhando-se por trás da fachada do ato, logo se nota que quem presenteia também fica extremamente feliz. Rost defende a tese de que dar algo voluntariamente inibe agressões e alivia conflitos acirrados. Aos olhos do sociólogo de Berlim, presentear é um puro ato social, capaz de estabelecer uma confiança que o dinheiro não compra. "Pois o outro é, por assim dizer, incluído. Não se trata de uma ação egoísta, voltada apenas para a própria vantagem: ela conta com o outro", esclarece.

Tema pouco estudado

É isto que devemos ter em mente ao dar presentes: somos como tropas de paz sob a árvore natalina. E essa é uma oportunidade única de pôr de lado velhos conflitos e mal-entendidos. Presentear é uma espécie de missão de capacetes azuis e não deveríamos apenas providenciar algo para encher a meia de Natal dos amigos, mas – precisamente – para os inimigos e adversários.

"São gestos de gentileza, a fim de gerar uma boa atmosfera para o diálogo. Exatamente como quando se é convidado para a casa de alguém não muito conhecido e se leva um ramo de flores, ou outra coisa, para gerar uma possível simpatia."

Por tratar-se de um tema a que a ciência tem dedicado pouca atenção, até hoje pouco se sabe sobre a origem, o significado e as implicações exatas do ato de dar presentes. Pois nele está oculta uma quantidade enorme de códigos e gestos, consensos culturais e mal entendidos de nossa vida cotidiana, explica Friedrich Rost.

"Uma das origens é, seguramente, a hospitalidade, a outra é o cuidado da cria, em especial o processo de escolha e conquista do parceiro. Há também raízes nas oferendas religiosas. Desse modo, deve-se partir do princípio de que é uma atividade muito complexa, que muito cedo se disseminou antropologicamente. E que, acima de tudo, se associou à experiência de que através dela se podem selar alianças."

"Delírio econômico"

Presentear seria, portanto, dar e receber, um ato recíproco que desperta sentimentos infantis de alegria e valorização, mas também de surpresas.

Porém alguns economistas veem a coisa um pouco diferente. O especialista em finanças inglês Joel Waldfogel fala de um "delírio econômico", que a cada ano destrói tantos valores quanto um furacão. Segundo suas pesquisas, os alemães gastam, em média, 700 euros como o Natal, no mais das vezes com resultados extremamente duvidosos.

Os campeões dos presentes equivocados são os sogros, seguidos de perto de avós, tias, irmãos e pais, revela o estudo de Waldfogel, que estima em 70 bilhões de euros a soma total das escolhas natalinas mal feitas. Por outro lado, lembra o sociólogo Friedrich Rost, quem recusa um presente magoa o presenteador. E isso representaria o fim da paz sob a árvore de Natal.

Autor: Christoph Richter (av)
Revisão: Soraia Vilela


FONTE: http://www.dw-world.de/

20 dezembro, 2009

Ovo frito no fundo do mar


Parece mesmo...

Cientistas acham cratera submarina que pode ser de meteorito
Portugueses encontraram depressão no fundo do Oceano Atlântico que pode ser resultante do impacto de meteorito.

Cientistas portugueses encontraram uma depressão no fundo do Oceano Atlântico, ao sul das ilhas de Açores, que dizem poder se tratar de uma formação resultante do impacto de um meteorito. A depressão tem um formato circular, com seis quilômetros de diâmetro e uma ampla cúpula e, devido ao seu formato, foi chamada de "Ovo Frito".

Os cientistas calculam que a colisão ocorreu em algum momento nos últimos 17 milhões de anos. "Para termos certeza, precisamos coletar amostras e fazer um perfil das camadas de sedimento para determinar se as formações são resultantes de um impacto", afirmou o cientista Frederico Dias, do grupo de pesquisa Estrutura de Missão Para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC).

"Precisamos também verificar todos os sinais que são consistentes com um impacto de alta velocidade, como vidro gerado no derretimento e, claro, escombros; e os chamados cones estilhaçados (rochas que sofreram choque)", acrescentou o pesquisador.


Os cientistas também encontraram outra formação semelhante, porém menor, a oeste da primeira formação. Dias apresentou a descoberta do suposto impacto na Reunião de Outono da União Geofísica Americana em San Francisco, Estados Unidos, a maior reunião anual de cientistas especializados em geofísica.


Picos centrais


A cratera, identificado pela primeira vez durante uma análise para mapeamento da plataforma continental portuguesa, em 2008, está a uma profundidade de dois quilômetros abaixo do nível do mar, a cerca de 150 quilômetros do arquipélago de Açores.

A cúpula no centro da cratera - que seria a "gema" do Ovo Frito - tem cerca de três quilômetros de diâmetro e cerca de 300 m de altura. Ela é cercada por uma vala em anel que fica de cerca 110 m abaixo do solo ao redor da cratera.

Os cientistas portugueses já descartaram a possibilidade de a formação ter origem vulcânica, pois eles não encontraram vestígio de fluxo de lava dentro da estrutura ou em seus arredores.

A segunda cratera encontrada pelos cientistas fica a oeste da primeira formação, entre três e quatro quilômetros de distância, e é bem menor. "Fica bem ao lado. Se o 'Ovo Frito' é uma cratera, esta (formação) também pode ser uma", afirmou Frederico Dias.

A equipe de cientistas portugueses já tem uma terceira expedição à região marcada para o começo de 2010 e, nesta viagem, vão usar um veículo operado por controle remoto para tentar recolher amostras do fundo do mar para análise.

A apresentação dos detalhes a respeito da formação perto de Açores na reunião em San Francisco dividiu os cientistas participantes a respeito da teoria do impacto de um meteorito, de acordo com Dias. "Mesmo se não for uma cratera formada por um impacto, ainda assim é uma formação interessante", afirmou o cientista português.

FONTE: http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/

19 dezembro, 2009

Ardi - hominídeo de 4,4 milhões de anos

Mais um esqueleto de hominídeo foi identificado como o mais antigo encontrado. Mais velho que "Lucy", o Ardi, segundo os cientistas, com a análise de seus ossos, mostrou que os símios africanos evoluíram consideravelmente desde o momento em que compartilharam um ancestral comum com os humanos.

Cada dia acham um mais velho, e mais velho e mais velho. E sempre tem uma "evolução".

Vai uma sugestão: 'inverter' a linha de pensamento. E se os macacos são a involução do homem? E não estes últimos a evolução do primeiro?




Ardi, o esqueleto de hominídeo mais antigo já encontrado até hoje, com 4,4 milhões de anos, foi a descoberta científica mais importante de 2009, estimou nesta quinta-feira a prestigiada revista Science.

Resultado da COP - 15

O mundo está literalmente frito...


FONTE: http://www.ivancabral.blogspot.com/

COP - 15: "acordo imperfeito"

A COP - 15 acaba sem grandes avanços, com um acordo 'tímido' entre EUA e países emergentes e a promessa de um fundo de ajuda climática de U$ 100 bilhões de dólares anuais até 2020 para países em desenvolvimento. O texto ainda terá que ser aprovado por demais países participantes.

notícia em: http://br.noticias.yahoo.com/

Mais uma vez as necessidades particulares falaram mais alto. Cada um buscou um acordo que não atingisse seu crescimento econômico, mesmo que para isso o tempo de vida útil do planeta tenha que ser reduzido (por mais que tentassem fazer parecer que se preocupam com ele). Mesmo com o auto-engano de que conseguiram fazer algo de útil na conferência, a verdade é que não se entendeu a gravidade da situação, que já caminha (há muito tempo) para o irreversível. O mundo (o homem) se auto-destruirá por dinheiro.

Só resta a esperança de ter direito a um 'resgate' divino quando o planeta entrar em convulsão.

18 dezembro, 2009

COP -15

Citação

"A 15.ª Conferência das Partes acontece entre os dias 7 e 18 de dezembro de 2009, em Copenhagen, Capital da Dinamarca. O encontro é considerado o mais importante da história recente dos acordos multilaterais ambientais pois tem por objetivo estabelecer o tratado que substituirá o Protocolo de Quioto, vigente de 2008 a 2012.

Uma atmosfera de expectativa envolve a COP-15, não só por sua importância, mas pelo contexto da discussão mundial sobre as mudanças climáticas. Aparecem aí questões como:
. o impasse entre países desenvolvidos e em desenvolvimento para se estabelecer metas de redução de emissões e as bases para um esforço global de mitigação e adaptação;
. os oito anos do governo Bush, que se recusou a participar das discussões e do esforço de combate á mudança do clima;
. a chegada de Barack Obama ao poder nos EUA, prometendo uma nova postura;
. os recentes estudos científicos, muitos deles respaldados pelo IPCC."

FONTE: http://www.portalodm.com.br/

Muitos sites, agências de notícias, jornais escreveram textos como este na esperança de, ao fim da COP-15, ter um tratado consistente, eficaz no tratamento das mudanças climáticas. Mas chegando hoje, dia 18 de dezembro, último dia da Conferência sobre clima, a sensação é de perda de tempo, muito blá-blá-blá e fracasso. Até ontem, não havia um texto que trouxesse algum avanço. O presidente da França, Sarkozy, alertou que estavam caminhando para um desastre - parece que estava adivinhando...

Numa última tentativa de não sair no fracasso total, Obama propõe que se tenha um acordo, mesmo que imperfeito. Porém, imperfeito infelizmente já foram todos os outros, pois se fossem perfeitos não precisariam ser subistituídos...

16 dezembro, 2009

Carbono negro envolve o planeta

De azul, a Terra vai passar a ser negra...

Nasa divulga imagem do ‘black carbon’ envolvendo a Terra.
Substância resulta de combustão incompleta, que forma fuligem.


19 novembro, 2009

Dia da Bandeira

FOTO: www.flickr.com/photos/

A bandeira nacional do Brasil, segundo recomenda o decreto de lei n.º 4, tem por base um retângulo verde com proporções de 07:10 e inscrito a ele um losango amarelo que inscreve um círculo azul atravessado por um dístico branco com as palavras "Ordem e Progresso" em letras verdes, assim como vinte e sete estrelas de cor branca. É uma das poucas bandeiras nacionais no mundo que não possuem em nenhuma parte as cores preta ou vermelha — geralmente associadas à guerra, ao luto ou ao sangue — na sua composição.

Como a bandeira foi instituíta quatro dias após a Proclamação da República, comemoramos em 19 de novembro o Dia da Bandeira.

FONTES:
http://www.suapesquisa.com/datascomemorativas/

http://pt.wikipedia.org/wiki/


Sobre as estrelas

A estrela Espiga, situada acima da faixa branca, representa o estado do Pará, que, à época da proclamação da República, era o Estado cuja capital, Belém, era a mais setentrional do país. As estrelas do Cruzeiro do Sul representam os cinco principais Estados de então: São Paulo,Minas Gerais, Rio de Janeiro (antiga capital nacional), Bahia e Espírito Santo. Brasília, fundada quase meio século depois e para onde foi transferida a capital nacional, foi representada pela estrela sigma do Oitante, também chamada de Polaris Australis ou Estrela Polar do Sul, por situar-se no Pólo Sul celestial (em contrapartida a Polaris, situada no Pólo Norte celestial). Apesar de ser pouco brilhante e estar próxima ao limite de visualização a olho nu, essa estrela tem uma posição única no céu do hemisfério sul, pois é em torno dela que todas as estrelas visíveis giram. Além disso, Polaris Australis sempre está acima da linha do horizonte e pode ser vista a qualquer dia e hora de quase todos os lugares abaixo da linha do Equador.

Quanto à posição das estrelas, é interessante comparar o que dispõem as leis n.° 5.443, de 28 de maio de 1968 e n.º 5.700, de 1 de setembro de 1971:

Lei 5.700 de 1 de setembro de 1971.
Artigo 3:
§ 1.º - As constelações que figuram na Bandeira Nacional correspondem ao aspecto do céu, na cidade do Rio de Janeiro, às 8 horas e 30 minutos do dia 15 de novembro de 1889 (doze horas siderais) e devem ser consideradas como vistas por um observador situado fora da esfera celeste.


Lei 8.421 de 11 de Maio de 1992
Artigo 3:
§ 1.º - As constelações que figuram na Bandeira Nacional correspondem ao aspecto do céu, na cidade do Rio de Janeiro, às 20 horas, 30 minutos do dia 15 de novembro de 1889 (doze horas siderais) e devem ser consideradas como vistas por um observador situado fora da esfera celeste.

Como até hoje a comissão de astrônomos não chegou a uma conclusão definitiva para explicar o tipo de relatividade implícito, tem-se que seja dia ou que seja noite, as doze siderais permanecerão sempre as mesmas bem como as letras na legenda Ordem e Progresso continuarão escritas em cor verde oliva e centradas ao meio do dístico branco.

A posição e dimensões exatas de cada componente da bandeira são definidas em lei, bem como a associação das estrelas das constelações com os estados do Brasil.

O Brasil é o único país cuja bandeira respeita a posição astronômica das estrelas. É por esse motivo que as duas faces de sua bandeira são exatamente iguais, com a faixa branca inclinada da esquerda para a direita (do observador que olha a faixa de frente), sendo vedado fazer uma face como avesso da outra.

FONTE:

http://hid0141.blogspot.com/


História da bandeira:


http://www.bandvel.com.br/

15 novembro, 2009

Proclamação da República - 120 anos


A Proclamação da República brasileira: pela crise do poder imperial, surgimento de correntes de pensamento político e interesse de grupos sociais. E vamos moldando o país...

A Proclamação da República Brasileira foi um episódio que instaurou o regime republicano no país, derrubando a Monarquia no Brasil e o Imperador D. Pedro II. Ocorreu dia 15 de novembro de 1889, no Rio de Janeiro, então capital do Império do Brasil, na Praça da Aclamação, hoje Praça da República, quando um grupo de militares do Exército brasileiro liderados pelo Marechal Deodoro da Fonseca, deu um golpe de estado sem o uso de violência, depondo o Imperador do Brasil.

A proclamação do regime republicano brasileiro aconteceu em decorrência da crise do poder imperial, ascensão de novas correntes de pensamento político e interesse de determinados grupos sociais.

Mesmo buscando uma posição política conciliadora, Dom Pedro II não conseguia intermediar os interesses confiantes dos diferentes grupos sociais do país. A questão da escravidão era um dos maiores campos dessa tensão político-ideológica. Os intelectuais, militares e os órgãos de imprensa defendiam a abolição como uma necessidade primordial dentro do processo de modernização sócio-econômica do país.

Por um lado, os fazendeiros da oligarquia nordestina e sulista faziam oposição ao fim da escravidão e, no máximo, admitiam-na com a concessão de indenizações do governo. De outro, os cafeicultores do Oeste Paulista apoiavam a implementação da mão-de-obra assalariada no Brasil. Durante todo o Segundo Reinado essa questão se arrastou e ficou presa ao decreto de leis de pouco efeito prático.

Os abolicionistas, que associavam a escravidão ao atraso do país, acabavam por também colocar o regime monárquico junto a essa mesma idéia. É nesse contexto que as idéias republicanas ganham espaço. O Brasil, única nação americana monarquista, se transformou num palco de uma grande campanha republicana apoiada por diferentes setores da sociedade. A partir disso, observamos a perda das bases políticas que apoiavam Dom Pedro II. Até mesmo os setores mais conservadores, com a abrupta aprovação da Lei Áurea, assinada pela princesa Isabel, começaram a ver a monarquia como um regime incapaz de atender os seus interesses.

A Igreja, setor de grande influência ideológica, também passou a engrossar a fila daqueles que maldiziam o poder imperial. Tudo isso devido à crise nas relações entre os clérigos e Dom Pedro II. Naquela época, de acordo com a constituição do país, a Igreja era subordinada ao Estado por meio do regime de padroado. Nesse regime, o imperador tinha o poder de nomear padres bispos e cardeais.

Em 1864, o Vaticano resolveu proibir a existência de párocos ligados à maçonaria. Valendo-se do regime do padroado, Dom Pedro II, que era maçom, desacatou a ordem papal e repudiou aqueles que seguiram as ordens do papa Pio IX. Mesmo anulando as punições dirigidas aos bispos fiéis ao papa, D. Pedro II foi declarado autoritário e infiel ao cristianismo.

Ao mesmo tempo, alguns representantes do poder militar do Brasil começaram a ganhar certa relevância política. Com a vitória na Guerra do Paraguai, o oficialato alcançou prestígio e muitos jovens de classes médias e populares passaram a ingressar no Exército. As instituições militares dessa época também foram influenciadas pelo pensamento positivista, que defendia a “ordem” como caminho indispensável para o “progresso”. Desta forma, os oficiais – que já se julgavam uma classe desprestigiada pelo poder imperial – compreendiam que o rigor e a organização dos militares poderiam ser úteis na resolução dos problemas do país.

Os militares passaram a se opor ferrenhamente a Dom Pedro II, chegando a repudiar ordens imperiais e realizar críticas ao governo nos meios de comunicação. Em 1873, foram criados o Partido Republicano e o Partido Republicano Paulista. Aproximando-se dos militares insatisfeitos, os republicanos organizaram o golpe de Estado contra a monarquia.

******************************************************************************

Desde o início, uma confusão...

É possível considerar a legitimidade ou não da república no Brasil por diferentes ângulos.

Do ponto de vista do "Código Criminal do Império do Brasil", sancionado em 16 de dezembro de 1830, o crime cometido pelos republicanos foi:

"Art. 87. Tentar diretamente, e por fatos, destronizar o Imperador; privá-lo em todo, ou em parte da sua autoridade constitucional; ou alterar a ordem legítima da sucessão. Penas de prisão com trabalho por cinco a quinze anos. Se o crime se consumar: Penas de prisão perpétua com trabalho no grau máximo; prisão com trabalho por vinte anos no médio; e por dez anos no mínimo."

O movimento de 15 de Novembro de 1889 não foi o primeiro a buscar a República, embora tenha sido o único efetivamente bem-sucedido, e, segundo algumas versões, teria contado com apoio tanto das elites nacionais e regionais quanto da população de um modo geral:

  • Em 1788-1789, a Inconfidência Mineira e Tiradentes não buscavam apenas a independência, mas também, a proclamação de uma república, seguida de uma série de reformas políticas, econômicas e sociais;
  • Em 1824, diversos estados do Nordeste criaram um movimento independentista, dentre elas a Confederação do Equador, igualmente republicana;
  • Em 1839, na esteira da Revolução Farroupilha, proclamaram-se a República rio-grandense e a República Juliana, respectivamente no Rio Grande do Sul e Santa Catarina.
No que se refere ao 15 de Novembro, embora se argumente que não houve participação popular no movimento que mudou o regime, o fato é que também não houve manifestações populares de apoio à monarquia, ao imperador ou de repúdio ao novo regime.

Alguns pesquisadores argumentam que, caso a monarquia fosse "popular" - o que não era - haveria movimentos contrários à república em seguida, além da Guerra de Canudos. Entretanto, segundo alguns pesquisadores, o que ocorreu foi uma crescente conscientização a respeito do novo regime e sua comemoração pelos mais diferentes setores da sociedade brasileira. Versão oposta é dada pela pesquisadora, Maria de Lourdes Mônaco Janoti, no livro "Os subversivos da República", que mostra o medo dos republicanos, nas primeiras décadas da república, em relação a uma possível restauração da monarquia no Brasil, e mostra ela, também, em seu livro, a repressão forte, por parte dos republicanos, a toda tentativa de se organizar grupos políticos monárquicos naquela época.

Neste sentido, um caso notável de resistência à república foi o do líder abolicionista José do Partrocínio, que, entre a abolição da escravatura e a proclamação da República, manteve-se fiel à monarquia, não por uma compreensão das necessidades sociais e políticas do país, mas, romanticamente, apenas devido a uma dívida de gratidão com a princesa Isabel. Aliás, nesse período de aproximadamente 18 meses, José do Patrocínio constituiu a chamada "Guarda Negra", que eram negros alforriados organizados para causar confusões e desordem em comícios republicanos, além de espancar os participantes de tais comícios.

Em relação à ausência de participação popular no movimento de 15 de novembro, um documento que teve grande repercussão foi o artigo de Aristide Lobo, que fora testemunha ocular da proclamação da República, no Diário Popular de São Paulo, em 18 de novembro, no qual dizia:

"Por ora, a cor do governo é puramente militar e deverá ser assim. O fato foi deles, deles só porque a colaboração do elemento civil foi quase nula. O povo assistiu àquilo tudo bestializado, atônito, surpreso, sem conhecer o que significava. Muitos acreditaram seriamente estar vendo uma parada!"

Na reunião na casa de Deodoro, na noite de 15 de novembro de 1889, foi decidido que se faria um referendo popular, para que o povo legitimasse, por meio do voto, a república. Porém esse plebiscito só ocorreu 104 anos depois, dentro da vigência da atual Constituição de 1988, no dia 21 de abril /1993. O seu resultado foi inequívoco: A república foi aprovada pela grande maioria da população, com 86% dos votos válidos.


FONTES:

http://www.mundoeducacao.com.br/historiadobrasil/

http://pt.wikipedia.org/wiki/

14 novembro, 2009

Origem dos nomes dos estados brasileiros

Acre: Vem de áquiri, touca de penas usada pelos índios munducurus.

Alagoas: O nome é derivado dos numerosos lagos e rios que caracterizam o litoral alagoano.

Amazonas: Nome de mulheres guerreiras que teriam sido vistas pelo espanhol Orellana ao desbravar o rio. Para Lokotsch, vem de amasuru, que significa águias retumbantes.

Bahia: O nome foi dado pelos descobridores em função de sua grande enseada.

Ceará: Vem de siará, canto da jandaia, uma espécie de papagaio.

Espírito Santo: Denominação dada pelo donatário Vasco Fernandes Coutinho que ali desembarcou em 1535, num domingo dedicado ao Espírito Santo.

Goiás: Do tupi, gwa ya, nome dos índios guaiás, gente semelhante, igual.

Maranhão: Do tupi, mba’ra, mar, e nã, corrente, rio que semelha o mar, primeiro nome dado ao rio Amazonas.

Mato Grosso: O nome designa uma região com margens cobertas de espessas florestas, segundo antigos documentos.

Minas Gerais: O nome deve-se às muitas minas de ouro espalhadas por quase todo o estado.

Pará: Do tupi, pa’ra, que significa mar, designação do braço direito do Amazonas, engrossado pelas águas do Tocantins.

Paraíba: Do tupi, pa’ra, rio, e a’iba, ruim, impraticável.

Paraná: Do guarani pa’ra, mar, e nã, semelhante, rio grande, semelhante ao mar.

Pernambuco: Do tupi, para’nã, rio caudaloso, e pu’ka, gerúndio de pug., rebentar, estourar. Relativo ao furo ou entrada formado pela junção dos rios Beberibe e Capibaribe.

Piauí: Do tupi, pi’au, piau, nome genérico de vários peixes nordestinos. Piauí é o rio dos piaus.

Rio de Janeiro: O nome deve-se a um equívoco: Martim Afonso de Souza descobriu a enseada a 1º de janeiro de 1532 e a confundiu com um grande rio.

Rio Grande do Norte: Derivado do rio Potengi, em oposição a algum rio pequeno, próximo, ou ao estado do Sul.

Rio Grande do Sul: Primeiro conhecido como Rio Grande de São Pedro. A Barra do Rio Grande de São Pedro, foi um ponto geográfico estratégico para a fixação do domínio lusitano no sul do país. Local ideal para que lá se instalasse um reduto militar com acesso marítimo ao interior pelo canal Rio Grande que liga a lagoa dos Patos ao oceano.

Rondônia: O nome do estado é uma homenagem ao marechal Rondon.

Santa Catarina: Nome dado por Francisco Dias Velho a uma igreja construída no local sob a invocação daquela santa.

São Paulo: Denominação da igreja construída ali, pelos jesuítas, em 1554 e inaugurada a 25 de janeiro, dia da conversão do santo.

Sergipe: Do tupi, si’ri ü pe, no rio dos siris, primitivo nome do rio junto à barra da capitania.

Tocantins: Nome de tribo indígena que habitou as margens do rio. É palavra tupi que significa bico de tucano.

FONTE: http://www.significadodosnomes.com/estadosdobrasil.php

11 novembro, 2009

Vazamento de Urânio na Bahia

Vazamento de urânio não apresenta riscos

11/11/2009 - 19h37m

redacao@portalibahia.com.br

Técnicos das indústrias nucleares do Brasil, estatal responsável pela extração de urânio em uma mina de Caetité, no sudoeste do estado, garantiram nesta quarta-feira (11) que o vazamento que ocorreu durante a extração do minério não representa perigo a população.

Segundo a empresa, o composto que vazou não é radioativo e o problema já teria sido resolvido. Mas a garantia não trouxe tranquilidade para quem vive em Caetité.

A notícia do possível vazamento de urânio assustou quem vive em povoados próximos da mina de exploração do minério e usa a água dos poços artesianos.

O alerta foi dado pela Organização Não-Ggovernamental Greenpeace, que afirmou ter recebido de moradores da cidade informações sobre um vazamento de 30 mil litros de concentrado de urânio, um composto radioativo.

Em 2008, um relatório da mesma organização levantou a suspeita de que parte da água da região estaria com níveis de urânio acima dos recomendados pela Organização Mundial da Saúde.

O minério produzido aqui passa por diversos processos químicos na Europa e no Canadá, onde se transforma no combustível que abastece as Usinas Nucleares de Angra 1 e 2.

Segundo a Gerência da INB (Indústrias Nucleares do Brasil), empresa responsável pela extração do urânio, o vazamento não teria acontecido aqui na mina, mas na área industrial da empresa.


FONTE: http://ibahia.globo.com/

09 novembro, 2009

9 de novembro de 1989 - Muro de Berlim

Picuinhas na América do Sul: Colômbia e Venezuela

BOGOTÁ, Colômbia (AFP) - O governo da Colômbia informou neste domingo que não fará "nenhum gesto" hostil contra seus países vizinhos, e que recorrerá à Organização dos Estados Americanos (OEA) e às Nações Unidas após a declaração do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que conclamou seus compatriotas a se prepararem "para a guerra".

"Diantes destas ameaças de guerra pronunciadas pelo governo da Venezuela, o governo da Colômbia se propõe a ir à OEA e ao Conselho de Segurança da ONU", indicou o secretário de imprensa do presidente Álvaro Uribe, César Mauricio Velásquez.

Velásquez disse que "a Colômbia não fez nem fará nenhum gesto de guerra contra a comunidade internacional (e) menos ainda contra países irmãos, e o único interesse que nos move é a superação do narcoterrorismo que durante tantos anos maltratou os colombianos".

"A Colômbia mantém sua disposição ao diálogo franco, às vias do entendimento e às normas do direito internacional", destacou o comunicado presidencial.

FONTE: http://br.noticias.yahoo.com/

Por que:

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse neste domingo que as Forças Armadas do país e a população civil devem se "preparar para a guerra" para garantir a paz. As declarações foram feitas em um momento de crescente tensão na fronteira com a Colômbia e da assinatura de um acordo militar entre os governos colombiano e americano.

em: http://ultimosegundo.ig.com.br/

Queda do Muro de Berlim - 20 anos

Líderes mundiais vão a Berlim celebrar 20 anos da queda do Muro

BERLIM - Líderes mundiais do passado e do presente reuniram-se na capital alemã nesta segunda-feira para comemorar o 20º aniversário da queda do Muro de Berlim, que levou à reunificação da Alemanha e acelerou o fim da União Soviética.

Imagens da noite histórica de 9 de novembro de 1989 -- quando os berlinenses do Leste presos atrás da barreira de concreto de 3,6 metros de altura correram aos postos de fiscalização para forçar a abertura deles -- dominaram a cobertura da TV e dos jornais alemães na última semana.

Como parte das comemorações desta segunda-feira, mil peças gigantes de dominó foram colocadas ao longo do trecho de 1,5 quilômetro do caminho original do Muro, perto do Portão de Brandenburgo.

Elas serão derrubadas na noite desta segunda, na presença dos líderes atuais da Grã-Bretanha, da França e da Rússia, numa reencenação simbólica de um dia que agitou o mundo.

"A sua majestade consiste não na presença de uma estrutura, mas na ausência dela", disse o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, em trechos já divulgados do discurso que pronunciaria na noite de segunda. "O muro se foi. Duas Berlim são uma. Duas Alemanhas são uma. Duas Europas são uma."

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, também está em Berlim e se encontrou nesta segunda-feira com a chanceler alemã, Angela Merkel, a primeira líder alemã a crescer atrás do Muro, na Alemanha do Leste, comunista.

Merkel, que trabalhava como pesquisadora na Berlim Oriental há 20 anos, chamou a queda do Muro de "o dia mais feliz na história recente da Alemanha".

Apoiada pela União Soviética, o governo da Alemanha Oriental começou a erguer sua "barreira de proteção antifascista" nas primeiras horas de 13 de agosto de 1961 para pôr fim a uma fuga em massa de seus cidadãos para Berlim Ocidental, capitalista.

Inicialmente uma cerca temporária de arame farpado, ela foi aos poucos se tornando uma barreira imponente que cercava os três setores ocidentais da cidade e era patrulhada por guardas de fronteira que tinham ordens de atirar em qualquer pessoa que tentasse fugir.

Ao menos 136 mortes

De acordo com um estudo publicado este ano, ao menos 136 pessoas morreram no Muro de Berlim entre 1961 e 1989 enquanto tentavam fugir.

Outras milhares de pessoas conseguiram escapar das minas, dos cães de guarda e das torres de vigilância, usando artifícios como túneis e compartimentos ocultos em carros para chegar ao Ocidente.

O Muro caiu depois que o membro do Politburo e porta-voz Guenter Schabowski disse numa entrevista coletiva que os cidadãos da Alemanha Oriental poderiam atravessar as fronteiras imediatamente.

Ele não sabia que a decisão não deveria ser anunciada antes das 4h da manhã seguinte. Visto por milhares de pessoas na televisão, ele provocou uma corrida à fronteira que, despreparados, os guardas orientais foram incapazes de conter.

Para algumas pessoas, a reunificação do país em 1990 permanece um ponto dolorido. Uma pesquisa com mais de mil alemães para o diário Leipziger Volkszeitung indicou que um em cada oito gostaria que o Muro fosse reerguido -- os números são quase iguais no Leste e no Oeste.

Neste link, um infográfico histórico do erguimento e queda do Muro de Berlim:

http://images.ig.com.br/infograficos/BerlimMuroPT0411/index1.html

Para historiador alemão, 'muro psicológico' ainda divide população

SÃO PAULO – Os 20 anos que se passaram desde a queda do Muro de Berlim não foram suficientes para encerrar as divisões econômicas e culturais da Alemanha. Essa é a opinião do historiador alemão Hermann Grampp, que nota a crescente equiparação dos indicadores sociais, mas considera que os 28 anos de separação ainda são "uma questão delicada" para a população do país. "Existe uma divisão mental, 'o Muro dentro da cabeça'", afirma, em entrevista ao Último Segundo.

Grampp, 32 anos, é mestre em Estudos Históricos pela Universidade de Cambridge, na Inglaterra, e também estudou história medieval, ciência política e economia na Universidade Livre de Berlim, onde vive desde 1997.

Nascido em Bayreuth, no norte da Baviera, Grampp é considerado um especialista na capital alemã: além de aulas e palestras, ele também se dedica a liderar excursões temáticas sobre Berlim, algumas dedicadas inteiramente à história da barreira que separava a cidade.

Entrevista em: http://ultimosegundo.ig.com.br/murodeberlim/


Diferenças entre "lados" da Alemanha diminuíram, mas separação cultural e econômica ainda existe

em: http://ultimosegundo.ig.com.br/

Mais um furacão na América do Norte

O furacão Ida ganhou força no Caribe, perto da Península de Yucatán, e passou à categoria 2 neste domingo, enquanto avançava em direção ao Golfo do México, informou o Centro de Furacões dos Estados Unidos.

Em El Salvador, as fortes chuvas remanescentes do furacão provocaram deslizamentos de terra e inundações e mataram mais de 90 pessoas e deixando pelo menos outras 60 desaparecidas. O governo declarou estado de emergência em cinco departamentos do país.

Rota

Na noite de domingo, o furacão Ida desviou sua rota e seguiu para o Golfo do México, onde se encontram diversas refinarias de petróleo e gás, e seguir no sentido do território dos Estados Unidos. Companhias petrolíferas que operam no Golfo do México anunciaram estar acompanhando o progresso do furacão, mas ainda não pensam em paralisar a extração de petróleo e gás.

A produção petrolífera do Golfo do México é responsável por 25% da produção nacional de petróleo noss EUA e 15% da produção de gás. Com o avanço de Ida, o centro de furacões montou um posto de observação em Grand Isle, Louisiana. A criação de um posto de observação significa que a chegada de um furacão é esperada nas 36 horas seguintes.

Estado de Emergência

O governador da Louisiana decretou estado de emergência para preparar o Estado para a tormenta. Mas as previsões são de que Ida pode perder força antes de chegar aos Estados Unidos ao interagir com uma frente fria.

FONTES:
http://www.redebomdia.com.br/
http://www.estadao.com.br/noticias/

Enquanto não sai o acordo...

Com a proximidade das eleições em Honduras, o acordo entre o governo deposto e o governo de fato ainda não saiu. Mas, mesmo que saia, aliados de Zelaya já avisam que não participarão das eleições... ainda tem pano pra manga, ou melhor, pra faixa presidencial...




Imagem retirada de: blogdosergiones.blogspot.com/

26 outubro, 2009

Abaixo assinado para Acordo Climático

A campanha TicTacTicTac, com apoio de vários segmentos da sociedade, vem trazer um abaixo assinado para que seja firmado um Acordo Climático, em substituição ao Protocolo de Kyoto, para reduzir os efeitos do aquecimento global.

************************************************************************************


De 7 a 18 de dezembro de 2009, lideranças de todo o planeta estarão reunidas em Copenhague para firmar acordos mundiais sobre a grave ameaça das mudanças climáticas. É inquestionável que este problema já está em curso, com efeitos dramáticos e potencialmente catastróficos para todos nós.

Ainda é tempo de evitar o pior, mas é preciso agir imediatamente! A transição para uma economia de baixo carbono pode trazer grandes benefícios, mas isso depende de como agirmos agora. (...)

Acesse o link abaixo para participar do Abaixo assinado TicTacTicTac
:

http://www.tictactictac.org.br/

25 outubro, 2009

Aparelho celular e câncer

Estudo da OMS relaciona uso do celular com câncer

Londres, 24 out (EFE).- O uso do telefone celular pode ter relação com vários tipos de câncer, segundo um estudo internacional supervisionado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), cujos resultados preliminares foram publica dos hoje pelo jornal "The Daily Telegraph".

Com um orçamento de 20 milhões de libras (22 milhões de euros), a pesquisa - que durou uma década e será divulgada até o fim do ano - oferece provas de que as pessoas que abusam do celular se arriscam a sofrer tumores cerebrais a longo prazo.

As conclusões preliminares indicam que existe "um risco significativamente maior" de ter um tumor cerebral "relacionado ao uso de telefones celulares durante um período de dez anos ou mais", afirma o jornal.

De acordo com o "Daily Telegraph", o estudo Interphone questionará as garantias que os Governos costumam dar sobre a segurança desses aparelhos e aumentará a pressão para que as autoridades de saúde divulguem conselhos mais claros.

A diretora da pesquisa, a doutora Elisabeth Cardis, professora do Centro de Pesquisa em Epidemiologia Ambiental (Creal) de Barcelona, disse que, apesar da "falta de resultados definitivos, vários estudos, embora sejam limitados, sugerem um possível efeito de radiação de radiofrequência" gerada pelos celulares.

"Portanto, estou de acordo, em geral, com a ideia de restringir o uso (de celulares) a crianças, embora não iria tão longe em proibir os telefones celulares, já que podem ser uma ferramenta muito importante (...)", disse Cardis, citada pelo jornal.

A especialista também defende "meios para reduzir a exposição" aos celulares, como a utilização de dispositivos handset - que permitem usar o telefone sem as mãos - e o uso moderado do aparelho.

Uma porta-voz da Creal em Barcelona afirmou à Agência Efe que o estudo coordenado por Cardis inclui vários dados de cidadãos de vários países, e acrescentou que é um trabalho muito complexo que "só será divulgado no final deste ano".

O estudo Interphone realizou pesquisas em 13 países e entrevistou a 12,8 mil pessoas - entre saudáveis e pacientes com tumores -, a fim de investigar se a exposição aos celulares está vinculada a três tipos de tumores cerebrais e um tumor da glândula salivar.

Pesquisas anteriores sobre os efeitos dos celulares na saúde foram pouco conclusivas, mas o projeto supervisionado pela OMS indica, por exemplo, que seis em oito estudos Interphone revelam um maior risco de sofrer de glioma (o tumor cerebral mais comum).

Um porta-voz da Agência de Proteção da Saúde (HPA) do Reino Unido disse que, "por enquanto, não há provas sólidas" sobre os efeitos nocivos do uso de celulares.

Já um porta-voz da associação de operadores de telefonia celular indicou que mais de 30% dos estudos científicos sobre esse assunto não encontraram nenhum impacto negativo para a saúde.

Claro, qual operadora vai admitir que o uso de celular faz mal à saúde? Se quem lhes dá lucro são justamente os consumidores (que vão ler a notícia) que utilizam muito os aparelhos?

FONTE: http://br.noticias.yahoo.com/

24 outubro, 2009

Brasileiro leva a África ao Japão

Exposição de fotógrafo brasileiro sobre África apresentada no Japão, um trabalho de 30 anos no continente.


Entrevista com o fotógrafo
Sebastião Salgado:

http://br.video.yahoo.com/

15 outubro, 2009

Dia do professor

Essa charge do M. R. é veeelha, mas ao mesmo tempo, tão atual...

12 outubro, 2009

O Dia das Crianças de outras crianças...

Nem todas as crianças podem comemorar o dia das Crianças, algumas pelo fato dos pais não terem condições de lhes dar um presente ou um dia de diversões, outras, além disso, são forçadas a trabalhar.

Charge: Ivan Cabral
Retirado de: ivancabral.blogspot.com

Dia das Crianças: origem

Na década de 1920, o deputado federal Galdino do Valle Filho teve a idéia de "criar" o dia das crianças. Os deputados aprovaram e o dia 12 de outubro foi oficializado como Dia da Criança pelo presidente Arthur Bernardes, por meio do decreto nº 4867, de 5 de novembro de 1924.

Mas somente em 1960, quando a Fábrica de Brinquedos Estrela fez uma promoção conjunta com a Johnson & Johnson para lançar a "Semana do Bebê Robusto" e aumentar suas vendas, é que a data passou a ser comemorada. A estratégia deu certo, pois desde então o dia das Crianças é comemorado com muitos presentes!

Logo depois, outras empresas decidiram criar a Semana da Criança, para aumentar as vendas. No ano seguinte, os fabricantes de brinquedos decidiram escolher um único dia para a promoção e fizeram ressurgir o antigo decreto.
A partir daí, o dia 12 de outubro se tornou uma data importante para o setor de brinquedos.

Em outros países

Alguns países comemoram o dia das Crianças em datas diferentes do Brasil. Na Índia, por exemplo, a data é comemorada em 15 de novembro. Em Portugal e Moçambique, a comemoração acontece no dia 1º de junho. Em 5 de maio, é a vez das crianças da China e do Japão comemorarem.

Dia Universal da Criança

Muitos países comemoram o dia das Crianças em 20 de novembro, já que a ONU (Organização das Nações Unidas) reconhece esse dia como o dia Universal das Crianças, pois nessa data também é comemorada a aprovação da Declaração dos Direitos das Crianças. Entre outras coisas, esta Declaração estabelece que toda criança deve ter proteção e cuidados especiais antes e depois do nascimento.

FONTE: http://mensagensepoemas.uol.com.br/dia-das-criancas/origem-do-dia-das-criancas-2.html

10 outubro, 2009

Gastos das Olimpíadas

Sediar as Olimpíadas tem seu preço...

Rio 2016 - Olimpíadas no Brasil

Disputando com Japão, EUA e Espanha, o Brasil ganhou o direito de sediar as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Com todo apelo emocional do Lula, clamando por uma olimpíada "sul-americana", "latino-americana", etc, etc, o Rio acabou levando.

Não adianta desfiar o rosário de informações que sabemos sobre os problemas sociais existentes em nosso país e as constantes tentativas [de vários segmentos] de fazer parecer que aqui é um paraíso, o povo gosta do pão e circo.

09 outubro, 2009

LINCE: trabalho sobre África

Equipes do trabalho sobre regiões da África:



Fotos: Ana Patrícia

Buscando água na Lua

Nasa realiza impacto bem sucedido de foguete em cratera da Lua

WASHINGTON, EUA (AFP) - A Nasa conseguiu jogar com êxito um foguete Atlas chamado Centauro contra uma cratera da Lua a uma velocidade de 9.000 km por hora, em uma missão em busca de água, anunciou nesta sexta-feira a agência espacial americana.

A televisão da Nasa não mostrou imagens do flash provocado pelo impacto do projétil de 2,3 toneladas às 11H31 GMT na crater.

A sonda LCROSS (Lunar Crater Observation and Sensing Satellite) partiu da Terra em junho passado a bordo de um foguete Atlas V, junto à sonda LRO (Lunar Reconaissance Orbiter), encarregada de elaborar uma carta detalhada do único satélite natural do nosso planeta.

Os dois artefatos integram a primeira missão do programa Constellation, que prevê a volta do homem à Lua a partir de 2020.

A sonda LCROSS viajou para a Lua durante três meses, carregada por um estágio do foguete Atlas chamado Centauro.

Centauro bateu contra a Cabeus a uma velocidade de 9.000 km por hora, criando uma cratera de 20 metros de diâmetro por cinco de profundidade.

O impacto deve lançar 350 toneladas de material, a até 10 km de altura, que esta nuvem de solo lunar será amplamente iluminada pelos raios do Sol.

A sonda LCROSS, com 891 quilos, sofreu o mesmo destino do Centauro, quatro minutos depois, o tempo necessário para que seus nove instrumentos, entre eles três espectrômetros, possam captar e determinar a natureza das partículas projetadas pelo primeiro impacto, e transmitir os dados à Terra.

Os cientistas pretendem determinar se há água congelada no fundo da cratera, que jamais recebe a luz solar e tem temperaturas médias de 240 graus negativos.

FONTE: http://br.noticias.yahoo.com/

08 outubro, 2009

Queimando tudo até a última ponta...

Temperatura sobe a 400ºC em região da Jordânia

Amã, 7 out (EFE).- As autoridades jordanianas investigam a partir de hoje o que motivou um repentino aumento da temperatura para 400ºC em um local próximo a Amã, informaram fontes oficiais.

O fenômeno ocorreu nesta terça-feira em uma área de quase dois mil metros quadrados na província de Balqa, 15 quilômetros ao oeste de Amã, segundo o governador da província, Abdul Khalil Sleimat.

"O fenômeno foi descoberto por acaso quando ovelhas entraram no terreno enquanto estavam pastando", disse o governador.

Sleimat contou que, de acordo com os pastores que cuidavam das ovelhas, os animais "foram completamente queimados e desapareceram".

As autoridades isolaram a área e retiraram os moradores do local, acrescentou o governador.

O Governo jordaniano deixou a investigação do fenômeno a cargo de um painel formado por diversos departamentos e instituições acadêmicas.

O chefe da associação jordaniana de geólogos, Bahjat Adwan, descartou a presença de qualquer atividade sísmica ou vulcânica na área.

O diretor do Conselho de Recursos Naturais da Jordânia, Maher Hijazin, informou que certos materiais orgânicos podem ter se juntado e reagido sob a superfície, gerando o inusitado aumento de temperatura.

Hijazin também destacou que há uma rede de água e esgoto que lança seus resíduos na região.

FONTE: http://br.noticias.yahoo.com

07 outubro, 2009

Indonésia - tsunamis

Nos útimos dias o Pacífico Sul vem se agitando por conta de terremotos que chegaram a mais que 8 graus na escala Richter provocando tsunamis, destruição e mortes. O fenômeno é comum na região devido à movimentação das placas tectônicas.

Notícias em:
http://www.bbc.co.uk/
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/09/

Sendo um fenômeno comum na região, o que poderiam fazer as autoridades dos países vulneráveis a ele?

O homem desde os primórdios da história vem ocupando e transformando o espaço de maneira a adequá-lo às suas necessidades, porém, nem tudo é possível controlar, ao menos por hora. Este é um dos desafios para a nossa ciência e a tecnologia.

17 setembro, 2009

Poluição X Saúde

Doenças causadas pela poluição geram gasto de R$ 14 por segundo, diz estudo

Da Agência Estado
Em São Paulo


Os custos da poluição, pela primeira vez, foram mapeados fora das fronteiras de São Paulo. Estudo obtido pelo jornal O Estado de S. Paulo mostra que são R$ 14 gastos por segundo (R$ 459,2 milhões anuais) para tratar sequelas respiratórias e cardiovasculares de vítimas do excesso de partícula fina - poluente da fumaça do óleo diesel. O valor é dispensado por unidades de saúde públicas e privadas de seis regiões metropolitanas do país.

A mesma pesquisa, produzida pelo Laboratório de Poluição da USP e seis universidades federais, mostra que, além dos paulistas, respiram ar reprovado pelos padrões da Organização Mundial da Saúde (OMS) as regiões do Rio, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba e Recife. "A poluição não é mais privilégio de São Paulo e os impactos são diretos na saúde cardiovascular do brasileiro", diz Antônio Carlos Chagas, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Pelo ensaio científico, 8.169 pessoas são internadas anualmente com problemas cardíacos atribuídos à partícula fina.

As pesquisas em São Paulo incentivaram a produção em outras metrópoles. O cardiologista Evandro Mesquita, da Universidade Federal Fluminense, começou a cruzar os dados de arritmia e enfarte em dias marcados pelo excesso de poluentes. Quando o Instituto do Coração de SP (Incor) fez teste parecido no ano passado, encontrou aumento de 11% de morte por ocorrência cardíaca. No Rio, a pesquisa da USP mostra que são 1.434 pacientes do coração internados por ano.

A reportagem teve acesso ao estudo na ação civil pública que o Ministério Público de São Paulo move contra a Petrobras e 13 montadoras de veículos pedindo indenização para vítimas da poluição. Segundo o promotor do Meio Ambiente do MP, José Isamel Lutti, o valor indenizatório terá "como parâmetro" a pesquisa. Além das internações, também foram calculadas as mortes nas regiões: 11.559 pessoas com mais de 40 anos (31 vidas por dia). A Petrobrás, por meio de assessoria de imprensa, informou que não foi notificada sobre a ação, ajuizada em março deste ano. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

FONTE: http://noticias.uol.com.br/

15 setembro, 2009

Lixo e energia

Proposta prevê uso de lixo doméstico para gerar energia

A iniciativa de se gerar energia a partir do aproveitamento do lixo doméstico está mais próxima de virar realidade no Brasil. Segundo executivos de empresas e entidades que compõem a cadeia do plástico, o tema ganhou força nos últimos meses, com a discussão sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos, e poderá ter resultados práticos ainda no começo de 2010. A tecnologia, existente na América do Norte, Europa e Ásia, é baseada na utilização do lixo e no poder calorífico das sacolas plásticas e já está em análise por companhias como a Petrobras e as petroquímicas Braskem e Quattor.

Diante do apelo socioambiental da proposta de geração energética a partir de produtos desperdiçados pela população, o tema é tratado como o futuro da cadeia do plástico. Em suma, a construção de usinas abastecidas por lixo doméstico poderia colocar fim à polêmica sobre os efeitos do uso das sacolas plásticas para o meio ambiente. A contrapartida é o alto custo de construção de uma unidade que atenda demandas em larga escala. Segundo estimativas da Braskem, uma usina com capacidade para abastecer 1 milhão de pessoas demandaria investimentos de aproximadamente US$ 250 milhões.

A petroquímica nacional é uma das companhias do setor envolvidas no projeto de tornar o investimento viável. "Estamos analisando alternativas tecnológicas para a solução energética (do uso do lixo e das sacolas plásticas), que não pelo tradicional sistema de queima", revelou o diretor de Desenvolvimento Sustentável da Braskem, Jorge Soto, sem dar mais detalhes sobre o tema. Entre as opções analisadas estão as tecnologias aplicadas em grandes projetos localizados no Japão, nos Estados Unidos e em países europeus, assim como novas tecnologias em análises nessas regiões.

O poder calorífico da sacola plástica, segundo o presidente da Plastivida, Francisco de Assis Esmeraldo, é equivalente ao do óleo diesel. Por isso, descobrir uma rota que torne o investimento viável poderia revolucionar a destinação do plástico e a geração de energia no País. "Estudos mostram que uma cidade de 180 mil habitantes gera lixo capaz de produzir energia para aproximadamente 56 mil habitantes", afirmou o executivo, durante evento no qual apresentou campanha publicitária assinada pela agência W/ e que terá como foco mostrar à população a importância do uso consciente das sacolas plásticas.

Para viabilizar o projeto de geração de energia a partir do lixo, a Plastivida assinou no início do mês passado um acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza e Resíduos Especiais (Abrelpe) para promover a reciclagem energética dos resíduos sólidos no Brasil. Ao mesmo tempo, intensificou as conversações com parlamentares para incluir o tema na Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Enquanto aguarda o avanço das conversações em esfera nacional, a Plastivida vê com bons olhos o interesse do Estado de São Paulo na iniciativa. "Incluímos a reciclagem energética na lei estadual de resíduos sólidos e, há um mês, em evento na Fiesp, ouvi da secretária Dilma Pena que São Paulo vai investir na instalação de usinas de reciclagem", afirmou Assis, referindo-se a um discurso da secretária de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo em encontro no Conselho Superior de Meio Ambiente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo.

Ao contrário do Brasil, que ainda analisa a viabilidade da construção da primeira usina de reciclagem em larga escala, outros países como Japão e Alemanha têm parte significativa do lixo destinado à geração energética. Segundo levantamento da Plastivida há mais de 850 usinas de reciclagem energética ao redor do mundo. No Brasil a única unidade - ainda em escala piloto - a apresentar números significativos é a Usinaverde, um projeto instalado no campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão.

De acordo com Soto, da Braskem, em países onde o sistema de reciclagem do plástico é mais desenvolvido, é possível que aproximadamente 30% do plástico gerado seja aproveitado em iniciativas de reciclagem mecânica. Para ampliar o porcentual de reutilização, a alternativa existente é a produção de energia, como já acontece no Japão, onde aproximadamente 80% do lixo é tratado dessa maneira, ressaltou Assis, da Plastivida.

FONTE: http://noticias.uol.com.br/

13 setembro, 2009

Telescópio Hubble: novo em folha


Depois de passar por uma manutenção básica, o Hubble melhora seu desempenho e a qualidade de suas imagens e promete passar mais um tempo passeando pelo Universo para capturar mais imagens.

O telescópio Hubble, totalmente modernizado, capturou uma série de imagens de maravilhas cósmicas com incrível nitidez, incluindo uma "borboleta" celestial e um "pilar da criação".

As 10 imagens foram as primeiras capturadas do espaço profundo obtidas pelo Hubble desde que sofreu reparos na missão realizada em maio passado, que instalou uma nova câmera e na qual outros instrumentos científicos foram reparados.

A foto com a forma de borboleta mostra uma nebulosa - nuvem de poeira estrelar e gás- criada pelos restos de uma estrela agonizante que, em algum momento, teve cinco vezes a massa do Sol.

A Nebulosa Borboleta ou as asas da "Bug Nebula" são na realidade o que a Nasa chama "caldeiras de gás" aquecidas a mais de (20.000 graus Celsius) que se deslocam pelo espaço a mais de 965.600 km/h.

"Isso marca um novo começo para o Hubble", ressaltou Ed Weiler, diretor associado da Agência Espacial Americana e responsável pelas missões científicas.

O telescópio, colocado em órbita em 1990, "foi totalmente modernizado e agora está mais poderoso do que nunca, com novos equipamentos que o permitirão se manter em operação durante a próxima década", indicou em um comunicado.

Os novos instrumentos permitem ao Hubble pesquisar o universo em uma extensa gama do espectro luminoso, que vai dos raios ultravioletas aos infravermelhos.

FONTE: http://br.noticias.yahoo.com/
Imagem retirada de: http://cafecomciencia.wordpress.com/

12 setembro, 2009

Cerrado X Amazônia: quem é mais desmatado?

Cerrado sofre o dobro do desmatamento da Amazônia, diz Minc

Segundo o ministro, 20 mil km² são destruídos a cada ano.
Ele lançou plano para conter devastação do bioma.

O Brasil desmata uma área de cerca de 20 mil quilômetros quadrados de cerrado a cada ano, o dobro do que é desmatado na Amazônia, disse nesta quinta-feira (10) o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, segundo a Agência Brasil.

A constatação é parte de um estudo do MMA que conclui que a degradação do cerrado é responsável pelo mesmo nível de emissões de gás carbônico que a floresta amazônica.

Minc anunciou a abertura de consulta pública para o PPCerrado (Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e das Queimadas no Cerrado), que vai coordenar e executar iniciativas que visam à redução do desmatamento na região.

O ministro defendeu a aprovação da proposta de emenda à Constituição que transforma em patrimônios nacionais o cerrado e a caatinga, e tramita há 14 anos. “É importantíssimo que estendamos o monitoramento do desmatamento também a outros biomas, como a Caatinga, o Pantanal e o Pampa”, afirmou Minc.

A partir de junho de 2010, segundo ele, será possível apresentar metas de redução do desmatamento de todos os biomas. “A base do plano será apresentada ainda hoje. O cerrado é fonte da maior parte do manancial de águas do país e não pode ser prejudicado pelo agronegócio”, disse.

“Há dez anos, segundo nossos dados, tanto na Amazônia como no cerrado eram desmatados 20 mil quilômetros quadrados por ano. Felizmente conseguimos, por meio dos programas tocados pelo governo, reduzir pela metade o desmatamento no bioma amazônico. A má notícia é que ainda não conseguimos fazer isso pelo cerrado”, disse Minc, segundo informações da Agência Brasil.

FONTE: http://www.globoamazonia.com/

11 setembro, 2009

11 de setembro 2001: 8 anos do atentado

Hoje completa 8 anos do atentado terrorista que marcou o início do milênio: o ataque às Torres Gêmeas do World Trade Center, na cidade de Nova York, quando 2 aviões, tomados em sequestro por terroristas do Al Qaeda, grupo comandado por Osama Bin Laden, atingiram os prédios (que depois desabaram).

No mesmo dia (supostamente) houve outro ataque, também com um avião, ao Pentágono ( Quartel General do Departamento de Defesa dos Estados Unidos), porém, existem informações desencontradas.

Há diferentes versões para o evento, desde a que a segurança do país tinha grandes falhas (o que foi bastante estranhado, levando em consideração que os EUA como grande potência, investe muito no setor militar/armamentista), mas que sendo verdade, revelaria a vulnerabilidade da segurança estadunidense, até a teoria de que o atentado foi 'facilitado' pelo governo Bush para ter alavancada a produção armamentista que na época não ia muito bem e assim poder movimentar a economia do país.

Teorias a parte, o saldo não foi nada interessante em termos de vida, já que muitas foram perdidas, e seja lá a que interesses de cada lado essas mortes atenderam, as pessoas que se beneficiaram perderam uma grande oportunidade de serem humanos.


Museu divulga cenas inéditas de 11 de Setembro; tragédia faz oito anos

O Museu e Memorial Nacional 11 de Setembro lançou um site no qual reuniu sua coleção de vídeos e imagens registrados por cidadãos que testemunharam o ataque terrorista de 11 de Setembro, que completa oito anos.

Entre o acervo do museu, estão imagens de uma câmera no Brooklin que exibe, através de uma cerca de arame, a fumaça preta que saía de uma das Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova York, quando um avião atravessa o outro edifício. O ataque deixa o ar repleto de pedaços de papéis, alguns dos quais caem nas mãos do cinegrafista.

FONTE: http://www.ipoom.com.br/

Um dos vídeos: http://www1.folha.uol.com.br/

Madeira 'chapa fria'

Operação desmonta esquema de 'lavagem' de madeira ilegal

Árvores eram cortadas irregularmente no norte de MT.
Serrarias conseguiam documentos falsos para transporte de tábuas.


Uma parte significativa da madeira amazônica vendida legalmente no Brasil e no exterior tem origem ilegal. Operações do Ibama realizadas na região do “Arco do desmatamento”, onde a devastação avança sobre a floresta, revelam diferentes esquemas para transformar madeira ilegal em madeira documentada.

A última operação, batizada de “Cavalo de Tróia”, ocorreu em Paranaíta, no extremo norte de Mato Grosso, no início do mês de setembro. Durante a ação, fiscais apreenderam 70 metros cúbicos de madeira extraídos irregularmente de florestas nativas no sul do Pará.

As toras eram levadas até a cidade, onde serrarias “esquentavam” a madeira: por meio de autorizações de exploração em outros locais, conseguiam fazer com que a madeira saísse dali com todos os documentos para ser transportada e vendida como se tivesse origem legal.

Os criminosos foram autuados pelo Ibama e os caminhões foram apreendidos. A operação Cavalo de Tróia segue investigando os desmatamentos irregulares na região.

FONTE: http://www.globoamazonia.com/

10 setembro, 2009

Como agir em caso de desastre

Vendavais


O que são?

São perturbações marcantes no estado normal da atmosfera. Deslocamento violento de uma massa de ar, de uma área de alta pressão para outra de baixa pressão.

Os vendavais, também chamados de ventos muito duros, correspondem ao número 10 na escala de Beaufort, compreendendo ventos cujas velocidades variam entre 88,0 a 102,0 km/h.

Os ventos com velocidades maiores recebem denominações específicas:

103,0 a 119,0 km/h ciclone extratropical
Acima de 120,0 km/h ciclone tropical ou furacão ou tufão

Os vendavais são provocados pelo deslocamento violento de uma massa de ar. Normalmente são acompanhados de precipitações hídricas intensas e concentradas, que caracterizam as tempestades. O superaquecimento local, ao provocar a formação de grandes cumulunimbus isolados, gera correntes de deslocamentos horizontal e vertical de grande violência e de elevado poder destruidor.

As tempestades relacionadas com a formação de cumulunimbus são normalmente acompanhadas de grande quantidade de raios e trovões.

Danos

Os vendavais ou tempestades:

Derrubam árvores e causam danos às plantações;
Derrubam a fiação e provocam interrupções no fornecimento de energia elétrica e nas comunicações telefônicas;
Provocam enxurradas e alagamentos;
Produzem danos em habitações mal construídas e/ou mal situadas;
Provocam destelhamento em edificações;
Causam traumatismos provocados pelo impacto de objetos transportados pelo vento, por afogamento e por deslizamentos ou desmoronamentos.

Os vendavais ocorrem em qualquer parte da Terra, em qualquer país. No Brasil, os vendavais são mais freqüentes nos Estados da Região Sul: Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Perguntas freqüentes

1 - O que a prefeitura de sua cidade pode fazer?

Elaborar o Plano Diretor de Desenvolvimento Municipal, onde serão identificadas as áreas de risco e estabelecidas as regras de assentamento da população. Pela Constituição Federal (art.182), esse Plano é obrigatório para municípios com mais de 20 mil habitantes;

Fiscalizar os projetos e as construções;

Aplicar multas, quando o morador não atender às recomendações da Prefeitura;
Elaborar orientações para a construção. Todo morador deve saber o que fazer e como fazer para não ser atingido;

Indicar quais as técnicas seguras para a construção, com base no conhecimento da velocidade e época dos vendavais já ocorridos, especialmente os de grande cobertura e de estrutura metálica, tais como : postos de gasolina, galpões, silos, armazéns, escolas, depósitos, e outros;

Como a maioria das residências de família de baixa renda não oferece segurança, a Defesa Civil poderá orientar como reforçar os telhados;

Cortar árvores ou deslocar postes de luz que possam cair sobre sua casa;

Avisar, alertar sobre as condições climáticas, a possibilidade de vendaval e orientar sobre os cuidados a serem tomados pela população.

2 - O que eu posso fazer antes da ocorrência do vendaval?

Revise a resistência de sua casa, principalmente o madeiramento de apoio do telhado;
Desligue os aparelhos elétricos e o gás;
Abaixe para o piso todos os objetos que possam cair.

3 - E depois da ocorrência do vendaval o que posso fazer?

Ajude na limpeza e recuperação da área onde se encontra, começando pela desobstrução das ruas e outras vias;

Ajude seus vizinhos que foram atingidos;

Evite o contato com cabos ou redes elétricas caídas. Avise a Defesa Civil ou Bombeiros sobre estes perigos;

Procure não utilizar serviços hospitalares, de comunicações, a não ser que necessite realmente. Deixe estes serviços para os casos de emergência.

FONTE: http://www.defesacivil.sc.gov.br/

Santa Catarina: tornados e vendavais



O Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri/Ciram) confirmou na quarta-feira (09/09) que três tornados atingiram três cidades de Santa Catarina durante a madrugada, causando mortes, ferimentos e desabamentos. As cidades atingidas foram Guaraciaba, Santa Cecília e Salto Zeloso.

De acordo com a metereologista Francine Gomes, do Epagri/Ciram, os tornados atingiram a categoria F1 na Escala Fujita de classificação de tornados - que vai de F0 a F6 -, com ventos entre 120 a 180 km/h.

De acordo com Gomes, ainda estão em estudo se outras localidades podem ter tido tornados em Santa Catarina. "Não se pode descartar que pode ter tido", disse. Em outros locais do Estado, segundo ela, foram registrados ventos acima de 100 km/h, o que pode caracterizar um tornado.

Para confirmar os tornados, foi feita uma análise dos estragos causados pelos ventos, já que não havia imagens que confirmassem o fênomeno, que aconteceu no período da noite. "Foi feita essa análise dos estragos causados pelos ventos. Não registramos a ocorrência dele, o funil propriamente dito, mas outra forma de determinar se houve ou não um tornado é pelos estragos que ele provoca, como estruturas retorcidas, árvores cortadas ao meio, quando parece que veio um machado e cortou, ou um rastro de maior destruição, carros virados ao contrário", detalhou a especialista.

Segundo a metereologista, três fatores atuando ao mesmo tempo favoreceram a formação dos tornados em SC. "Foi uma tarde muito quente, a temperatura máxima chegou a 32ºC em Itapiranga, cidade vizinha de Guaraciaba, foi uma dia abafado, com disponibilidade de umidade no ar, e a chegada de frente fria que já tinha causado estragos no sul favoreceu a formação de nuvens com desenvolvimento vertical, que são nuvens de tempestade", explicou.

Ela disse que não há possobilidade de o tornado que atingiu a Argentina ser o mesmo que chegou a Guaraciaba, cidade bem próxima à fronteira. "Pode ser uma área grande de instabilidade que formou vários tornados. Um tornado não tem tempo de vida útil para atingir vários municípios ao mesmo tempo", afirmou. Segundo ela, a nuvem que dá origem e um tornado se forma e se dissipa em uma hora. "O tornado, em sim, se forma e se dissipa, em média em 20 minutos", completou.

NÚMEROS DA TRAGÉDIA

Segundo a Defesa Civil do Estado, o número de feridos chegou a 138, com a morte de quatro pessoas, em 46 municípios catarinenses atingidos pelas fortes chuvas e ventos. Em todo o Estado, 1.163 pessoas perderam suas casas e 7.046 tiveram que deixar o local onde moravam, em razão de risco na estrutura.

A Defesa Civil calcula que pelo menos 54 mil pessoas tenham sido afetadas. Em Abelardo Luz, 3.000 ficaram desalojados após a forte chuva de granizo que provocou prejuízos em pelo menos 2.012 edificações. "A previsão de chuvas intensas para o restante da semana ainda preocupa. A possibilidade de acúmulo de água no solo mantém o alerta", afirma o diretor da Defesa Civil de Santa Catarina, major Márcio Luiz Alves. Mais de 10.000 edificações foram abaladas. Os prejuízos são de pelo menos R$ 50 milhões.

FONTE: http://noticias.bol.uol.com.br/

08 setembro, 2009

África

A África é um continente gigantesco e com muitos contrastes, desde contrastes dentro do seu povo até seus grandes e variados problemas. Mas também é rico e muito belo.

Clique aqui e assista um pequeno vídeo que mostra um pedaço do que é a África que pouco conhecemos.

03 setembro, 2009

Sem fronteiras

O que dá pra Chico, dá pra Francisco [pelo menos no que não presta]... Viva a globalização!

Retirado de: http://jornale.com.br/

02 setembro, 2009

Tropas dos EUA na América do Sul

Unasul diz que tropas extrarregionais não podem ser ameaça à região

BARILOCHE, Argentina (AFP) - Os presidentes participantes da cúpula da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) chegaram a um acordo na última sexta-feira em relação à crise criada por pactos militares assinados por Washington e Bogotá. O compromisso estabelecido, sem mencionar os Estados Unidos ou a Colômbia, exige garantias de que as tropas extrarregionais não representem uma ameaça.

A presença de tropas estrangeiras não deve constituir uma ameaça para a soberania regional, afirmaram, depois de um debate de sete horas sobre o uso de bases militares colombianas pelos Estados Unidos, na cidade argentina de Bariloche.

O acordo inclui, também, uma chamada para "uma reunião extraordinária de ministros das Relações Exteriores e da Defesa, para que (...) apresentem medidas de fomento da confiança e da segurança", segundo a declaração final do encontro.

Os doze países membros da Unasul expressaram, além disso, sua vontade de "reafirmar o compromisso de fortalecer a luta e a cooperação contra o terrorismo e a delinquência organizada (...), o tráfico de armas e a ação de grupos armados à margem da lei".

O texto final revelou um delicado equilíbrio, que reflete concessões feitas por todas as partes sobre o tema em debate.

"Respeitamos a soberania de cada país. Mas queremos nos resguardar, seria importante que no tratado existam garantias jurídicas ou um fórum internacional para isso", disse o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, ao expor sua posição sobre a presença militar americana na região.

Durante o encontro, vários presidentes sul-americanos pediram ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que revele o alcance do pacto militar subscrito com a Colômbia.

Brasil, Argentina, Equador e Peru foram as nações que pediram explicações com maior ímpeto.

Durante a cúpula, foi aprovado um documento reafirmando que a presença de tropas extrarregionais não pode ameaçar a soberania dos países membros nem a paz regional.

Destacam-se no texto as decisões de:

. Fortalecer a América do Sul como zona de paz, assumindo o compromisso de estabelecer um mecanismo de confiança mútua em matéria de defesa e segurança, sustentando a decisão de não recorrer à ameaça ou ao uso da força contra a integridade territorial de outro Estado da Unasul.

. Reafirmar o compromisso de fortalecer a luta e a cooperação contra o terrorismo e a deliquência transnacional organizada e seus crimes conexos: narcotráfico, tráfico de armas pequenas e leves e rejeição à presença ou ação de grupos armados à margem da lei.

. Reafirmar que a presença de forças militares estrangeiras não pode, com seus meios e recursos vinculados a objetivos próprios, ameaçar a soberania e a integridade de qualquer nação sul-americana e, em consequência, a paz e a segurança da região.

. Os presidentes se dispuseram a instruir o Conselho Sul-Americano da Defesa a analisar o texto elaborado nos EUA sobre "Estratégia Sul-Americana. Livro Branco, Comando de Mobilidade Aérea (AMC)" que menciona o uso da base aérea colombiana de Palanquero (centro), como centro nevrálgico para operações na América do Sul.

Palanquero é uma das sete bases colombianas incluídas no acordo entre Washington e Bogotá.

FONTE: http://br.noticias.yahoo.com/

Esse tema foi tratado na cúpula devido a um pacto militar firmado entre Colômbia e EUA no início do mês de agosto.

Ver em:
Acordo militar entre EUA e Colômbia preocupa região

E ele continua resistindo...


Retirado de: http://bloguedoanselmoraposo.blogspot.com/

01 setembro, 2009

Mais um furacão


O furacão Jimena se formou no Pacífico próximo ao resort mexicano de Acapulco no sábado dia 29/08, e o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NCH, na sigla em inglês) informou que a tormenta poderia ganhar força no domingo, o que de fato aconteceu.

O Jimena atingiu nesta segunda-feira (31) o nível 5, o mais alto da escala de Saffir-Simpson, ao alcançar ventos de 250 quilômetros por hora no Oceano Pacífico mexicano, se encaminhando para a península da Baixa Califórnia, segundo o serviço de meteorologia do país.

Furacões de Categoria 5 são "extremamente perigosos", de acordo com o centro de furacões, e podem causar estragos devastadores em terra.

Grande parte da Baixa Califórnia é formada de deserto e montanhas pouco povoadas, mas Los Cabos é uma movimentada área de resorts frequentada por turistas americanos por seus campos de golfe, hotéis de alto nível, praias e iates.

O centro de furacões disse que o Jimena pode despejar de 13 a 25 cm de chuvas na porção sul da península.

Este é o segundo furacão na região leste do Pacífico nesta temporada na região, depois que o Andres atingiu a mesma região em junho, causando a morte de um pescador. O furacão Carlos se formou em julho, mas região bem distante do continente para representar perigo.

FONTE: http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/